« HE:labs
HE:labs

Design Responsivo Parte I: Arquivos CSS e Breakpoints

Postado por Mikael Carrara em 27/02/2013

Irei a partir de hoje lançar uma série de posts com minhas considerações a respeito de design responsivo.

Ao projetar uma interface Web responsiva (otimizada para Tablets, Celulares, TVs, Geladeiras e Carros), primeiramente defino os breakpoints, ou seja, defino os pontos de “quebra” do layout (resoluções de agentes de usuários) e através de Media Queries (CSS3) seto o comportamento desejado para cada uma das resoluções que gostaria de considerar no meu projeto.

Em “90%” dos casos, a solução a seguir atendeu muito bem minhas necessidades. Em primeiro lugar divido meus arquivos CSS da seguinte forma:

site-core.css Aqui eu coloco todo CSS genérico, estilos comuns em todas as versões da interface. este arquivo vai alimentar os outros dois abaixo;

site-web.css Responsável por estilos exclusivos para web;

site-mobile.css Finalmente um arquivo responsável por estilos específicos para dispositivos móveis.

Separo uma versão só para Web por questões de compatibilidade com Internet Explorer 8. Sendo assim, no HEAD da aplicação eu seto através de um comentário condicional para que o IE8 leia apenas a versão Web:

1 <!--[if IE]>
2   <link type="text/css" rel="stylesheet" href="site-web.css" media="screen" />
3 <![endif]-->

Outros browsers com maior suporte a especificação das CSS3 aplicam as Media Queries como explicado no início do post. Então juntando tudo ficaria assim:

1 <link type="text/css" rel="stylesheet" href="site-core.css" />
2 <link type="text/css" rel="stylesheet" href="site-web.css" media="screen and (min-width:801px)" />
3 <link type="text/css" rel="stylesheet" href="site-mobile.css" media="handheld, screen and (max-width:801px)" />

Então, explicando melhor: Estou dizendo que o CSS para Web só deve ser exibido quando a largura mínima do navegador for no mínimo 801px e a versão mobile apenas em resoluções com largura máxima de 801px. O arquivo site-core.css como já explicado, alimenta os outros dois com estilos genéricos.

A seguir, configure sua viewport da forma como preferir (entrarei em mais detalhes num próximo post):

1 <meta name="viewport" content="width=device-width, user-scalable=no" />

Agora vamos definir os breakpoints para todas as versões mobile. Apenas para frisar: O arquivo CSS mobile engloba tanto Tablets quando Celulares e Smartphones. Deixei apenas a versão Web num arquivo separado para poder usá-la também como uma “versão IE8” sem necessariamente criar uma versão de CSS com Hacks só para ele. Não tive trabalho a mais com o IE8.

Voltando...

Todo estilo que coloco dentro do arquivo CSS site-mobile.css mas “fora” de Media Queries é destinado a agentes de usuários com largura máxima de 801px como já explicado. Na verdade então, podemos já ir definindo os estilos pra Tablets diretamente no arquivo.

1 .holder {
2   width:700px;
3 }

Então finalmente os estilos para agentes de usuários com largura máxima de 686px. Nos meus testes funcionou muito bem tanto em Smartphones modernos como Galaxy Nexus e iPhone 5 que possuem resoluções bem grandes no modo landscape como também no iPhone 4 e HTC Nexus One que já são mais antigos.

1 @media (max-width:686px) {
2 
3   .holder {
4     width:86%;
5     padding:0 7% 0 7%;
6   }
7 
8 }

Esses valores são os que usei em algumas situações mas você é livre para explorar melhor as Media Queries, garanto que vai muito além de larguras definidas com unidades de medidas absolutas como estou fazendo nos exemplos. Experimente criar grids responsivas usando unidades de medidas relativas como % e EM.

Voltando pras Medias Queries...

Daí por diante é só ir diminuindo a resolução conformo você vai dando mais suporte a vários dispositivos:

 1 @media (max-width:381px) {
 2 
 3   background-image:none;
 4 
 5   .holder {
 6     width:94%;
 7     padding:0 3% 0 3%;
 8   }
 9 
10 }

Na maioria das vezes, conforme a resolução do dispositivo diminui, a capacidade de processamento também, então começam a aparecer estilos que otimizam o desempenho em dispositivos mais modestos.

Mudando um pouco de assunto mas dentro de um mesmo contexto, acho que quando você está aprendendo CSS básico ainda, mais importante do que o conceito de “Design Responsivo” em si é o conceito de “Box-Model”. Procure entender melhor como se comporta a renderização em cada browser.

Se você não domina completamente todos os elementos da sua interface no navegador Web, será um pouco mais difícil “aprender design responsivo”. Talvez você até o faça, mas seu trabalho não terá a qualidade esperada no final.

Conclusão: Você precisa pensar para que cada dispositivo tenha a melhor experiência possível dentro de suas limitações. Através das Media Queries podemos definir estilos específicos para cada contexto e assim otimizar a experiência do usuário em diferentes situações.

Outros posts da série

Design Responsivo Parte II: Listagens e Galerias

Links

Compartilhe

Sabia que nosso blog agora está no Medium? Confira Aqui!