« HE:labs
HE:labs

Design Responsivo Parte III: Viewports

Postado por Mikael Carrara em 11/09/2013

Em computação gráfica, a viewport nada mais é do que uma região de visualização retangular. Dentro do contexto do design responsivo é o nome dado para a região disponível onde a interface web será renderizada.

Quando não configuramos a viewport, o que acontece? A interface simplesmente assume sua renderização nativa para desktop. Mesmo um iPhone 5, por exemplo, tendo 480px de largura no modo landscape, exibe uma interface de 980px (sites de 960px ou 980px de largura) tranquilamente, pois a largura da sua resolução é de 1136px (980px dentro do iOS safari). Então precisamos prestar atenção para não confundirmos a resolução com a largura de tela.

Mas é um pouco estranho quando você entra em um site pelo smartphone e todos seus elementos e componentes estão miniaturizados (zoomed-out), exatamente uma versão pequena do site. Mesmo podendo dar zoom, é mais interessante para o usuário ter uma experiência otimizada para o dispositivo que ele está usando.

Mesmo que já tenhamos desenvolvido nossa interface otimizada para mobile através das Media Queries (leia as partes I e II também da série Design Responsivo), os browsers ainda vão renderizar a interface no modo nativo e ocupar toda a resolução possível do dispositivo. E é assim que deve ser, pois sem a otimização para design responsivo, o browser entende que você gostaria de ver toda a interface e não apenas um pedaço dela e a exibe como no desktop mesmo.

Usando a meta tag viewport, os browsers vão interpretar que a interface não é para desktop. Então, vão customizar a resolução nativa do dispositivo (ex: no caso do iPhone 5, 1136px). Em outras palavras, se a "versão mobile" (480px de largura no landscape) da interface for renderizada no iPhone 5, a viewport irá personalizar a vizualização para que os 480px de largura ocupem todos os 980px de resolução.

No head do seu documento HTML, declare a metatag viewport:

1 <meta name="viewport" content="">

Dentro do atributo content você pode setar alguns valores: width, height, initial-scale, maximum-scale e user-scalable.

Antes era comum configurarmos apenas a largura de 480px ou 320px na viewport, pois não tínhamos muitas variações de larguras e resoluções mobile que considerávamos. Se você quisesse uma interface mobile de 320px bastava setar:

1 <meta name="viewport" content="width=320">

Mas agora com a infinidade de diferentes dispositivos e considerando que temos uma interface com o box-model e seus componentes flexíveis, definimos o width (largura) da viewport da seguinte forma:

1 <meta name="viewport" content="width=device-width">

Ou seja, a viewport tem como width a própria largura do aparelho (device-width). A meta tag viewport foi uma solução implementada rapidamente pela Apple no iPhone e em seguida, adotada pelos outros dispositivos e browser. Infelizmente nunca foi uma recomendação do W3C. A Microsoft está tentando ir na mesma direção que os padrões W3C ignorando no IE10 a meta tag viewport no Snap Mode (versão normal do browser sem a nova UI do Windows 8). Ironicamente, a Microsoft está nitidamente apostando no futuro com total suporte para CSS3 e HTML5. Quem sabe?

No futuro e atualmente no IE10, a viewport será configurada dentro do arquivo CSS com CSS Device Adaptation (falarei um pouco mais sobre isso em um futuro post). Usaremos então a @viewport rule:

1 @viewport{
2   zoom: 1.0;
3   width: extend-to-zoom;
4 }

Mas como ainda é um padrão em desenvolvimento, O IE10 requer uma especificidade a mais:

1 @-ms-viewport{
2   zoom: 1.0;
3   width: extend-to-zoom;
4 }

Claro que isso ainda está longe de ser um padrão suportado por todos, mas para dar suporte ao IE10, certifique-se de configurar dessa forma também, o que me parece ser uma solução bem mais elegante do que no HTML e vai de acordo também com o conceito de "Separação de Interesses" (separar o código em camadas), bastante defendida entre desenvolvedores sérios.

Mas ainda não acabamos. Podemos e devemos também configurar para que tenhamos certeza que a interface seja renderizada corretamente em sua escala 1:1 e assim, evitar que o comportamento nativo zoomed-out funcione.

1 <meta name="viewport" content="initial-scale=1">

Não é muito bom desabilitar o zoom através do user-scalable=NO e nem setando também maximum-scale=1 e initial-scale=1 simultaneamente, pois isso afeta diretamente a acessibilidade da interface. E ainda, tira a possibilidade do usuário de ampliar determinado elemento para enxergá-lo melhor, algo comum até mesmo para pessoas com ótima visão. Então certifique-se que o zoom ainda funciona, ele é uma característica nativa dos dispositivos mobile e o usuário deve conseguir usá-la para otimizar sua experiência.

Juntando tudo ficaria assim:

1 <meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">

Infelizmente isso "buga" no iOS Safari quando usado no modo landscape. Então, para não termos que apelar para o Javascript (se tiver interesse, tem o ios-orientationchange-fix.js), apenas sumimos por completo com width ou width=device-width ficando apenas:

1 <meta name="viewport" content="initial-scale=1">

Se o bug do iOS Safari continuar, adicione no CSS:

1 html, body {
2   width: 100%;
3   overflow-x: hidden;
4 }

Dedique um tempo para testar diferentes tipos de configurações em diferentes dispositivos e browsers para entender melhor como funciona a renderização com viewports customizadas. No próximo post da série Design Responsivo, falarei um pouco mais sobre Media Queries.

Outros posts da série

Design Responsivo Parte I: Arquivos CSS e Breakpoints

Design Responsivo Parte II: Listagens e Galerias

Links

Compartilhe

Sabia que nosso blog agora está no Medium? Confira Aqui!